skip to Main Content
Simples Nacional 2018: Entenda As Novas Tabelas E Limites

Simples Nacional 2018: entenda as novas tabelas e limites

Em 2018 o Simples Nacional chega carregado de novidades, tanto em relação aos limites quanto as novas tabelas. Portanto, quem está inserido nesse tipo de tributação, empreendedores de micro e pequenas empresas, precisam ficar atentos.

Aprender os cálculos, ter a consciência do novo teto de faturamento, bem como compreender os percentuais dos impostos, é item primordial para que a empresa se enquadre no sistema Simples Nacional e não acarrete em futuros problemas tributários no futuro.

Quer entender e conhecer melhor as mudanças, bem como ter o suporte especializado para te ajudar nesse sentido? Então continue conosco que te contamos tudo isso a seguir!

O que é o Simples Nacional?

Antes de explicarmos as novas regras para 2018, vamos partir do básico, ou seja, entender o que é o Simples Nacional.

De acordo com a Receita Federal:

“O Simples Nacional é um regime compartilhado de arrecadação, cobrança e fiscalização de tributos aplicável às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, previsto na Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006.”

(Fonte: LINK)

Ainda de acordo com o site receita. fazenda.gov.br:

“Para o ingresso no Simples Nacional é necessário o cumprimento das seguintes condições:

  • Enquadrar-se na definição de microempresa ou de empresa de pequeno porte;
  • Cumprir os requisitos previstos na legislação;
  • Formalizar a opção pelo Simples Nacional.”

(Fonte: LINK)

Simples Nacional 2018: limites de faturamento

Uma das novidades é a nova faixa de limites de faturamento. Agora os limites para Simples, microempreendedor individual (MEI), microempresa (ME) e empresa de pequeno porte (EPP), são mais elevados.

Um exemplo: se antes o empreendedor MEI podia ter um faturamento anual de até R$ 60 mil, agora ele pode chegar até R$ 81 mil anuais.

Já as micro e pequenas empresas que tinham o limite de R$ 3,6 milhões anuais até dezembro de 2017, agora em 2018 podem chegar até 4,8 milhões, caso tenham optado pelo Simples Nacional.

Novas alíquotas e anexos do Simples Nacional

Quanto as alíquotas do imposto, temos mudanças significativas.  Ela passa a ser progressiva em situações cujo o faturamento ultrapassar R$180 mil acumulado no decorrer dos últimos 12 meses.

Se o faturamento for aumentando, a alíquota será diferente. Em suma, tal mudança significa que:

  • Se antes duas empresas de faturamentos diferentes pagavam a mesma alíquota, agora ela será proporcional, ou seja, quem fatura mais pagará um valor maior;
  • Além disso, a alíquota poderá variar de mês a mês, de acordo com o faturamento.

Veja um exemplo a seguir:

FATURAMENTOEmpresa AEmpresa B
Faturamento 12 mesesR$180.000,01R$360.000,00
Faturamento No MêsR$10.000,00R$10.000,00
Simples até 2017 (R$)R$821,00R$821,00
Simples após 2018 (R$)